Como é o trabalho em equipe dos estudantes na Vereda?

4 minutos para ler

Convidamos os professores da Escola Vereda para contarem, em uma série de textos, suas experiências em sala de aula e demonstrarem como a nossa metodologia pedagógica funciona na prática. E o primeiro tema que teremos é o Trabalho em equipe, formato que utilizamos para desenvolver em nossos estudantes habilidades importantes para os desafios do futuro. Confira o artigo da professora Fabiane Aparecida, do 4º ano do EFl, da Escola Vereda de Santo André.

“A competição sempre fez parte da vida do ser humano, seja no trabalho, na vida social ou nos estudos, mas nesse caso, a palavra correta a ser utilizada é colaboração. Aqui na Vereda mudamos esse paradigma de competir para cooperar/colaborar trabalhando com os estudantes em equipe, e podemos perceber muitos benefícios para o seu desenvolvimento.

O trabalho em equipe é uma habilidade ou competência comportamental extremamente requisitada nos dias atuais. Porém, é preciso diferenciar trabalho em equipe de trabalho em grupo. Vou explicar com essa simples comparação: se um grupo vai ao cinema, ele tem o mesmo objetivo de assistir ao filme, mas não interage entre si, no entanto, no trabalho em equipe, é preciso uma sinergia, onde o trabalho de um estudante vai impactar no trabalho do outro.

Recordo-me de uma aula que tivemos no 4º ano do Ensino Fundamental I, onde propomos que os estudantes trabalhassem em equipe e contassem para a sala as curiosidades que descobriram. Os grupos fizeram pequenas apresentações e a sala inteira estava fazendo perguntas, sem competições, sem medos e receios, trocando entre si todas as informações que conseguiram colher. 

Os benefícios que o estudante ganha com essa troca são muitos. Há evidências de que estar numa equipe e poder interagir com todos da sala, sendo crianças, com diferentes pensamentos e ideias, múltiplos valores e conceitos, contribui para o desenvolvimento de habilidades intelectuais.

Mas é importante explicar para o estudante a razão de estar ensinando essa habilidade, quando ele irá utilizar e como isso irá beneficiá-lo.

Mas como incentivar o trabalho em equipe?

Não existe uma fórmula mágica, leva tempo e exige muito esforço. Como professora, observo muito e tento de várias maneiras. Um exemplo delas é passar para a sala um simples feedback positivo em frases como “Essa equipe é incrível”, “Olha só o resultado”, “Foi ótima sua contribuição para o trabalho”, “Como você evoluiu, continue assim”.

Tenho para mim, que é um processo de aprendizagem apaixonar-se pela sua equipe. É preciso conhecer seus estudantes, sentar para conversar, tomar um chá, um suco, conhecê-los, conversar sobre assuntos que os aproxime. Isso faz com que não tenham medo, receios e que se sintam mais seguros, até mesmo para tirar dúvidas na sala de aula.

É simplesmente estimular a colaboração. O trabalho em equipe vai muito além da sala de aula, na verdade, e devemos plantar a sementinha quando ainda estão em desenvolvimento na educação infantil. Enquanto seres humanos, temos uma relação de interdependência e precisamos um dos outros, então, quanto mais estimularmos o trabalho em equipe, melhor será o futuro dos nossos pequenos alunos.

Quem está envolvido nesse objetivo?

Desde o profissional que atende ao telefone na secretária da escola, do profissional que organiza o local para ter todos materiais funcionando até o profissional professor que está em sala de aula interagindo com o aluno. É fato que ninguém consegue ter sucesso sozinho, ninguém consegue ser feliz sozinho. A vida e a relação humana são uma grande relação de equipe.

Podemos dizer que nós, os pais, avós, tios, ainda estamos engatinhando e aprendendo, pois na infância fomos muito estimulados a competir. Basta se recordar da brincadeira “Dança das cadeiras”, onde só uma criança vencia, e muitas vezes as outras eram empurradas e não tinham mais oportunidade.

Felizmente isso está mudando, e nossas crianças brincam com jogos escolares onde trabalharam juntos, incentivando uns aos outros. E o meu propósito é justamente o relacionamento interpessoal, e contribuir para formar pessoas mais capazes, mais sociáveis, e pensadores mais profundos.”

Fabiane Aparecida, professora do 4º ano do EFl, da Escola Vereda de Santo André.

Você também pode gostar

Deixe um comentário